terça-feira, 15 de setembro de 2015

'Dissemos que íamos a um piquenique', conta pai refugiado sobre fuga da Síria (Via BBC)

"Dissemos que íamos a um piquenique". Foi o que o sírio Mohammed contou a seus filhos antes de a família deixar a casa onde vivia na capital da Síria, Damasco, e partir rumo à Europa.

Ele e sua família – mulher, três filhos, pai, mãe e irmãos - são alguns dos milhares de refugiados que buscaram abrigo na ilha de Lesbos, na Grécia, fugindo da guerra civil síria.
Ali a situação beira a calamidade pública, com novas embarcações repletas de sírios chegando a todo momento.
"Tivemos de mentir. Não acho que foi uma mentira ruim", resigna-se Mohammed, aludindo à história que contou a seus filhos.
"Dissemos a eles que estávamos mudando para um lugar onde poderiam ter uma educação e uma vida melhores", acrescenta.
Segundo Mohammed, a travessia entre a fronteira da Turquia e a Grécia foi "horrível".
"Foi horrível porque temos filhos e submetê-los a essa experiência não é algo que desejo a ninguém, mas não tínhamos escolha".
"Tentamos mostrar a eles que não estamos com medo. Tentamos não mostrar a eles que estamos muito tristes. Mas é muito difícil ter de abandonar sua casa", diz.
Segundo dados da Acnur (Agência da ONU para Refugiados), o total de refugiados sírios já ultrapassou os 4 milhões.
A Europa vive a pior crise humanitária desde a 2ª Guerra Mundial.
No mundo inteiro, o número de pessoas forçadas a abandonar suas casas por conta de guerras e perseguição bateu recorde: 59 milhões até o final de 2014, segundo a Acnur.


VEJA O VÍDEO NO LINK ABAIXO:
http://www.bbc.com/portuguese/videos_e_fotos/2015/09/150915_vale_este_pai_refugiado_siria_lgb

5 comentários:

  1. Não é o Estado, é Al-Saad

    A Guerra Civil na Síria esta acontecendo desde 2011, esta briga está acontecendo porque a população quer a saída de Bashar Al-Saad, que é um ditador que já governa o país a tempo, eles pressionaram o governo e saíram para as ruas, o mesmo respondeu utilizando o exercito, daí vieram os grupos de oposição e também foram combater o governo. A Síria não esta recebendo ajuda, primeiro a ONU não esta fazendo nada, porque os EUA defendem os rebeldes, porem a Rússia e a China defendem o governo, o que causa uma divergência de opiniões. Essa guerra já trouxe mais de 130 mil mortos, e fez com que dois milhões de pessoas fugissem do país a fim de buscar refugio. Para piorar, Israel ainda atacou a Síria, que segundo eles não foi por causa da guerra e sim porque eles queriam impedir que certo grupo libanês recebesse mísseis do país.
    O que gerou a revolta popular dos sírios foi quando algumas crianças estavam pichando um muro e o governo as prendeu e as torturou, isso fez com que os protestos fossem crescendo, e provocasse uma revolta armada, eles têm apoio de alguns grupos islamitas, como o Al-Nursa. Essa guerra esta sendo devastadora, ela esta causando uma crise humanitária, morte, ela destruiu a infraestrutura do país, inúmeras mortes, refugiados, etc. Hoje, as duas partes buscam pela paz, foi feita uma conferencia de paz, denominada de Genebra II, na Suíça, mas quase nada avançou.
    Esse conflito só irá acabar quando Al-Saad sair do poder, as pessoas estão cansadas da forte ditadura, da falta de liberdade e da frieza com que eles os tratam, como aconteceu com as crianças que foram torturadas. Ou isso acontece, ou eles chegam a um acordo, pois a situação que esta não pode continuar, são varias mortes, são crianças morrendo, são pessoas tendo que fugir do próprio país, são famílias arrasadas. O mundo não pode mais continuar assim, a paz é precisa, um conflito que começou pacifico e esta terminando assim, alias começando, porque esta longe de acabar. Claro que o motivo não é só Al-Saad, e sim o Estado Islâmico também, mas as maiorias das pessoas estão fugindo do país por sua causa. A Síria esta caída na pobreza, mais da metade da sua população esta nela, o país vai precisar de muito tempo pra se reerguer, e se essa guerra esta só começando, quando a Síria vai se reconstruir?

    Rebeca Mendes- 901

    ResponderExcluir
  2. O texto faz referência à guerra civil que ocorre na Síria. Os conflitos que ameaçam a paz se apresentam de forma deplorável, principalmente, quando considerado seu início no ano de 2011. Há 4 anos fortaleceu-se uma instabilidade consequente do descontentamento político por parte da população e persiste, agora de forma ainda mais intensa e agressiva.
    A Organização das Nações Unidas, por sua vez, absteve-se de sua real obrigação como acolhedora e pronunciou-se ao mínimo. Enquanto a civilização síria se desfaz, por mortes e refúgios, a ONU não oferece nenhum auxílio substancial.
    O povo que sobrevive encontra-se extremamente carente de recursos e meios devido a tais turbulências. Injustiças do sistema e desigualdade social se tornam ainda mais visíveis.
    No histórico, desde o princípio, vê-se muitas perdas. Resultado desta calamidade são os constantes bombardeios.
    Tudo o que se faz é acumular riquezas e bens materiais, consumindo todos os recursos naturais da Terra, sempre deixando para trás um rastro de poluição e destruição generalizadas. Não vê-se compaixão significativa por parte do resto do mundo, aparentemente, poucos agem de forma positiva e atuante para que esta situação se contorne.
    Infelizmente, inúmeras pessoas inocentes já partiram por não ter escolha e precisarem ficar ou algumas, tentando fugir dessa situação terrível. Não pode-se mudar o que houve, mas ainda é possível conter tal força desnecessária.

    Colégio Ativo - teste de Geografia.
    Bruna Leite Felix.
    901.

    P.S.: Permito a publicação do meu texto.

    ResponderExcluir
  3. Guerra da Síria e refugiados
    Para sabermos melhor sobre a situação dos imigrantes e refugiados que saíram da Síria, deve-se compreender o conflito que está ocorrendo no país e como o mesmo está afetando todos os habitantes das regiões.
    Durante vários anos, a Síria tem passado por um momento de devastadores protestos e muitas rebeliões extremistas para retirar do poder a família Assad, que começou por Hafez al-Assad,que governou o pais por 3 décadas, e Bashar AL-Assad,que está governando desde os anos 2000. Esses conflitos tem gerado muita devastação em todo o território sírio, causando assim um número enorme de desabrigados e muitos imigrantes, consequentemente.
    Como muitos desses imigrantes não tem mais nada em suas casas, procuram fugir para outros países, tendo que passar pelo mar ou por terra para chegar em algum lugar para ter uma condição de vida melhor,o que nos traz a uma verdade: Muitos países deviam ter como dever abrigar os refugiados,por uma questão de ética e por compaixão,porque,principalmente,países como Alemanha e Brasil,usaram esses povos ou até os mataram.
    Uma coisa que dificulta essa passagem dos imigrantes não é somente os vários problemas de transporte ou de recursos, mas também pode ser atribuída ao nacionalismo xenófobo que existe em certos países, uma coisa que deve ser desconsiderada em momentos como esse.
    Essa situação com os refugiados,portanto,deve ser levada a sério pelos países em melhores condições de abriga-los e com renda suficiente para sustenta-los,porque não podemos deixar que pessoas morram pelo nosso egoísmo e pela questão de ética e moral.
    Aluno: Guilherme Oliveira de Lima-901-Ativo

    ResponderExcluir
  4. Consequências das guerras civis

    Essa guerra civil ocorre na Síria desde janeiro de 2011 e tudo começou simplesmente com pequenos protestos, que viraram manifestações médias e depois rebeliões agressivas armadas. Essas manifestações não era nada menos para poder tirar Bashar al-Assad , que era o presidente ,do poder. E o objetivo deles era criar uma nova democracia da Síria. Coisas podem começar pequenas mas sempre se desenvolvem.
    Pesquisando coias assim, não paramos para pensar em uma coisa. Porque as guerras tem que existir? Muitas pessoas, pensadores, escritores, professores às vezes não sabem a real causa. Devemos dizer que a guerra se deve a imbecilidade humana. N´´os humanos não percebemos o quanto uma guerrapode prejudicar uma vida, um país, o mundo. Um protesto pode iniciar uma guerra, muitos podem não saber disso.
    Pessoas entram na guerra simplesmente pelo prazer de matar. Isso não é humanidade, não pensam nas consequências, o homem morto pode ter sete filhos, dez filhos, como ficaria sua família? Na miséria, porque não existe palavras para descrever uma guerra civil ou pior ainda mundial, são um desastre, pior do que qualquer terremoto ou tsunami,porque isso ainda pode reconstruir, mas e o mundo todo sendo afetada pela mesma guerra? Imagina o caus que ficaria o mundo.
    A pior parte de qualquer tipo de guerra, é o medo. Medo de cair um bomba perto de você, medo de perder alguém que ama, medo de morrer sem ao menos ter culpa de alguma coisa, perder sua casa e não ter para onde ir, proteger filhos, esposa e pais, a família sofrer traumas, crianças vendo pessoas morrerem na sua frente e ter que lidar com isso para sempre. São as pequenas atitudes que devemos ter para não começar com uma guerra, seja inteligente em todos os seus atos, seja simplesmente humano.

    Nome; Ana Carolina Gomes dos Santos
    Turma; 901

    ResponderExcluir
  5. Os Refugiados da Guerra na Síria

    Talvez a palavra "barbaridade" possa definir esta atual guerra na Síria. Intolerância e desrespeito levam extremistas a terem prazer de massacrar sua própria espécie, por motivos religiosos e culturais.
    Nesse contexto parte da população tenta fugir para países como a Europa em busca de melhores condições de vida, porém, o que ainda não foi citado é que para alcançarem seu objetivo embarcam em um percurso extremamente longo a pé, sem comida, água, dinheiro e qualquer outro tipo de recurso essencial para esse tipo de travessia.
    Na grande parte das vezes as famílias refugiadas, como a citada no documentário, não chegam completas no destino final, até porque com condições desumanas muitos não suportam e morrem no meio do caminho, principalmente crianças e idosos por serem bem mais frágeis.
    As palavras da família do documentário são realmente comovente e faz surgir algumas perguntas em nossa cabeça: aonde esse mundo vai para se o ódio continuar predominando? Se medidas não forem tomadas para o povo começar respeitar as diferenças do próximo, o vai nos acontecer? Estes são exemplos de perguntas que só o tempo vai responder.
    Só devemos esperar que estas pessoas consigam se reerguer e conquistar uma vida melhor, pois após tanto esforço e sofrimento merecem ser respeitados e bem recebidos no seu destino tão ansiado.

    Amanda Salgado.

    ResponderExcluir